Anarquia na Velha Direita

Sobre aquela cadeira vazia…

No The American Conservative, a Velha Direita tem expressado seu fumegante desalento com os prospectos políticos do país através de um ataque de paralisado dissenso.

Os 29 membros do simpósio do TAC se dividiram bastante igualmente entre (o Democrata) Barack Obama, (o Republicano) Mitt Romney e (o Libertário) Gary Johnson. Cada um reúne quatro compromentimentos definitivos, com Andrew J. Bacevich, Leon Hadar, Scott McConnell, e Noah Millman a favor de Obama; Marian Kester Coombs, James P. Pinkerton, Stephen B. Tippins Jr., e John Zmirak a favor de Romney; e Doug Bandow, Peter Brimelow, Scott Galupo, e Bill Kauffman a favor de Johnson.

Philip Giraldi sintetiza o espírito de obstrução anti-neoconservadora com suas intenções eleitorais declaradas, oscilando entre um voto a favor de Johnson, uma inserção de Ron Paul, ou uma escolha em favor de Obama para esterilizar Romney, se a disputa for apertada. James Bovard também está dividido entre Johnson e uma inserção de Ron Paul (mas sem menção de uma opção anti-Romney a favor de Obama). Como Johnson, Romney conseguiu dois ‘talvez’ adicionais (de W. James Antle III e Bradley J. Birzer). Virgil Goode do Constitution Party reúne apenas um apoio sólido (Sean Scallon). Há também uma inserção de Rand Paul (Daniel McCarthy) e quatro indecifráveis (Jeremy Beer, Rod Dreher, William S. Lind, e Steve Sailer).

O vencedor decisivo entre os autores do TAC, contudo, é Ninguém, apoiado por sete abstenções inequívocas (Michael Brendan Dougherty, David Gordon, Robert P. Murphy, Justin Raimondo, Sheldon Richman, e Gerald J. Russello) e provavelmente uma oitava (Paul Gottfried, equilibrado na borda democraticamente abstêmia dos indecifráveis).

Talvez questões como esta estejam azedando o humor.

Por quê não optar pelo melhor negócio?

Original.